967 564 420 tania_cunha_@hotmail.com

Gravides e MaternidadeOs fatores psicológicos podem ter um papel decisivo no trabalho de parto e a sua influência pode ser prevista durante a gravidez. Sabemos que os aspetos de sofrimento psicológico, como a ansiedade durante a gravidez, são preditivos da forma como o trabalho de parto decorrerá, e a redução daquela poderá ser um objetivo da intervenção terapêutica.

A forma como a gravidez é vivida influencia a hora do nascimento, com mais ou menos perturbações obstétricas e pediátricas, com mais ou menos dor e com mais ou menos satisfação. O nível de ansiedade é um fator decisivo.

É consensual que a ansiedade e a incapacidade de lidar com as adversidades, estão intimamente relacionadas com as dificuldades no parto e, é de todo o interesse minimizá-las através da intervenção psicológica, tendo em conta que um parto com sofrimento, abre portas para uma relação mãe-bebé conturbada.

As mães que relatam um parto mais difícil, assim como aquelas que referem mais dor, mais ansiedade, mais perda de controlo, da noção de tempo e espaço, e aquelas que exibem uma reacção emocional mais negativa para com o parto e apontam que tiveram menos suporte por parte dos técnicos, apresentam níveis mais elevados de perturbação emocional.

Estudos apontam que a experiência de parto é positivamente afectada, no que se refere à percepção e satisfação da mulher, pelas seguintes condições: presença de uma pessoa significativa; parto normal e não por cesariana; anestesia local e não geral, no caso do parto por cesariana; participação activa nas decisões relativas ao parto e no trabalho de parto; parto sem dor, tal como se verifica, por exemplo, na sequência de analgesia pelo método epidural.

Todas e cada uma destas circunstâncias favorecem ainda o estado emocional da mulher durante o pós-parto e, em geral, beneficiam a qualidade da relação e dos cuidados que a mãe presta ao bebé. Neste sentido, a investigação aponta que são estas as condições que a intervenção psicológica deverá geralmente favorecer para possibilitar que a mulher tenha uma experiência de parto mais positiva, que propicie o seu bem-estar e o do bebé durante o puerpério.