967 564 420 tania_cunha_@hotmail.com
Meditação Chocolate

A Meditação do Chocolate

Sabe-se hoje que a atenção plena desenvolve a resiliência, ou seja, a capacidade de suportar os embates e as reviravoltas da vida. A atenção plena é um “cair em si” que o vai fazer avançar cada vez mais, de forma bastante espontânea, se dedicar algum tempo a esta prática.

Permite-lhe viver o mundo calmamente e sem julgamento, diretamente através dos sentidos. Dá-lhe um sentido de perspectiva renovado. Pode sentir o que é importante e o que não é.

Sugiro como exercício de atenção plena a “Meditação do Chocolate”, e nela é lhe pedido que tome efetivamente atenção a um pedaço de chocolate à medida que o come.

Escolha um chocolate – de um tipo que nunca tenha experimentado ou que não tenha comido recentemente. É importante escolher uma variedade que não costuma comer ou que só raramente consume. E experimente:

  • Abra a tablete. Sinta o aroma. Deixe-o entre em si.
  • Parta um quadrado e olhe para ele. Deixe que os seus olhos observem bem a sua aparência, examinando cada bocadinho.
  • Ponha-o na boca. Veja se consegue segurá-lo com a língua e deixá-lo derreter, estando atento à mínima tendência para o chupar. O chocolate tem mais de trezentos sabores diferentes. Veja se consegue sentir alguns.
  • Se reparar na sua mente a vaguear enquanto faz isto, registe simplesmente para onde é que ela foi e traga-a de novo para o momento presente.
  • Depois de o chocolate ter derretido por completo, engula-o muito devagar e deliberadamente.
  • Repita isto com o quadrado seguinte.

Como se sente? É diferente do normal? O chocolate soube melhor do que se o tivesse comido a um ritmo acelerado?

Como pode constatar, a meditação não é complicada, nem tem a ver com “conseguir” ou “não conseguir”. Mesmo quando parece difícil, aprende-se sempre qualquer coisa de valioso sobre os processos da mente, tirando-se assim benefícios psicológicos.

 

Fonte: Mindfulness – Atenção Plena de Mark Williams e Danny Penman.